A MP - Medida Provisória 881 foi amplamente discutida durante evento que reuniu dirigentes sindicais ligados a UGT e a outras centrais.
A MP, que se aprovada, vai virar lei, dispõe sobrea à livre iniciativa e ao livre exercício de atividade econômica, que em outras palavras libera o funcionamento do comércio nos finais de semana e feriados.
A Medida, fixa o pagamento de hora extra em 50%, caso o horário exceder o período trabalho; e que o trabalhador terá direito ao descanso semanal remunerado de 24 horas consecutivas, e que o repouso remunerado deverá coincidir com o domingo pelo menos uma vez no período de quatro semanas.
Isto significa que não haverá mais necessidade de acordo com o Sindicato para se trabalhar em feriados e finais de semana, e que haverá perdas para o trabalhador.
O evento contou com a presença do deputado federal e presidente da Fecomerciários, Luiz Carlos Motta, que falou sobre os projetos que são contra os trabalhadores e que tramitam na Câmara dos Deputados; do diretor do DIAP Neuriberg Dias do Rego; do desembargador do TRT 15, Luís Henrique Rafael e da advogada trabalhista e mestre pela PUC, Maria de Fátima Moreira Silva Rueda.
O advogado do Sincomerciários de Santa Bárbara d'Oeste e Região, Pedro Lazani Neto, falou a importância da união dos trabalhadores em face a organização do patronal em retirar direitos. “tiraram o custeio dos sindicatos, agora, com a 881 querem tirar a representatividade das entidades”, afirmou o advogado. Assita ao vídeo.
Sindicalistas debatem a MP 881e suas consequências
NOTÍCIAS
Sindicato dos Empregados do Comércio de Santa Bárbara d'Oeste, Tietê, Cerquilho e Jumirim
SINCOMERCIÁRIOS
Escritórios 
Sindicato dos Empregados do Comércio de Santa Bárbara d'Oeste, Tietê, Cerquilho e Jumirim
SINCOMERCIÁRIOS
Escritórios